Canal Poheresia

Loading...

Translate

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Alguns aspectos da estratégia narrativa em "Memórias Póstumas de Brás Cubas".

O insulto à verossimilhança e ao senso comum surgem com a presença de um defunto narrador que não respeita o conceito de tempo em sua narrativa, o que muito sugere um enfrentamento do autor de "Memórias Póstumas..." com as propostas do Realismo/Naturalismo, cantadas em verso e prosa. Essa atitude vai contra a idéia de mímeses, da imitação, pois Machado de Assis funde idéias diferentes e, assim, caminha para um paradoxo, quebrando o elo de reprodução literária. Com altas doses de cinismo e ironia, o tom do narrador propõe uma postura crítica da sociedade (que passa longe tanto da mitificação de uma natureza selvagem como símbolo de essência da nação quanto ao auto-mitificação que é expressa no contexto romântico).
Brás, por várias vezes, interrompe a intriga para fazer comentários que, aparentemente, parecem não ser relevantes. Entretanto, ao fim do romance, uma unidade é formada e o leitor, espantado com as idas e vindas dentro da obra, reconhece um conjunto harmonioso e verdadeiro.

Nenhum comentário: